segunda-feira, 4 de julho de 2011

revelando negativos...

De quando em quando, sou assaltada por essa vontade urgente de revelar o negativo registro documental da minha alma

Transito pela linha fina entre a ficção socialmente amigável ou a exibição que me deixará sozinha na sala escura.

Minha montagem é opaca

Dou impressão de movimento, mas não passo de fragmentos

E vivo assim, tentando colar meus pedaços

Meu filme queima.

Um comentário:

Fúria disse...

criaste a imagem com a palavra, perfeito simulacro realista, e com a a palavra conduz com velocidade onírica toda a sua angústia!

belo!